terça-feira, 19 de julho de 2011

Atritos



Ninguém muda ninguém;
ninguém muda sozinho;
nós mudamos nos encontros.

Simples, mas profundo, preciso.
É nos relacionamentos que nos transformamos.
Somos transformados a partir dos encontros,
desde que estejamos abertos e livres
para sermos impactados
pela idéia e sentimento do outro.

Você já viu a diferença que há entre as pedras
que estão na nascente de um rio,
e as pedras que estão em sua foz?

As pedras na nascente são toscas,
pontiagudas, cheias de arestas.

À medida que elas vão sendo carregadas
pelo rio sofrendo a ação da água
e se atritando com as outras pedras,
ao longo de muitos anos,
elas vão sendo polidas, desbastadas.

Assim também agem nossos contatos humanos.
Sem eles, a vida seria monótona, árida.
A observação mais importante é constatar
que não existem sentimentos, bons ou ruins,
sem a existência do outro, sem o seu contato.
Passar pela vida sem se permitir
um relacionamento próximo com o outro,
é não crescer, não evoluir, não se transformar.

É começar e terminar a existência
com uma forma tosca, pontiaguda, amorfa.
Quando olho para trás,
vejo que hoje carrego em meu ser
várias marcas de pessoas
extremamente importantes.

Pessoas que, no contato com elas,
me permitiram ir dando forma ao que sou,
eliminando arestas,
transformando-me em alguém melhor,
mais suave, mais harmônico, mais integrado.
Outras, sem dúvidas,
com suas ações e palavras
me criaram novas arestas,
que precisaram ser desbastadas

Faz parte...
Reveses momentâneos
servem para o crescimento.
A isso chamamos experiência.
Penso que existe algo mais profundo,
ainda nessa análise.
Começamos a jornada da vida
como grandes pedras,
cheia de excessos.

Os seres de grande valor,
percebem que ao final da vida,
foram perdendo todos os excessos
que formavam suas arestas,
se aproximando cada vez mais de sua essência,
e ficando cada vez menores, menores, menores...

Quando finalmente aceitamos
que somos pequenos, ínfimos,
dada a compreensão da existência
e importância do outro,
e principalmente da grandeza de Deus,
é que finalmente nos tornamos grandes em valor.

Já viu o tamanho do diamante polido, lapidado?
Sabemos quanto se tira
de excesso para chegar ao seu âmago.

É lá que está o verdadeiro valor...
Pois, Deus fez a cada um de nós
com um âmago bem forte
e muito parecido com o diamante bruto,
constituído de muitos elementos,
mas essencialmente de amor.
Deus deu a cada um de nós essa capacidade,
a de amar...
Mas temos que aprender como.

Para chegarmos a esse âmago,
temos que nos permitir,
através dos relacionamentos,
ir desbastando todos os excessos
que nos impedem de usá-lo,
de fazê-lo brilhar

Por muito tempo em minha vida acreditei
que amar significava evitar sentimentos ruins.
Não entendia que ferir e ser ferido,
ter e provocar raiva,
ignorar e ser ignorado
faz parte da construção do aprendizado do amor.

Não compreendia que se aprende a amar
sentindo todos esses sentimentos contraditórios e...
os superando.
Ora, esse sentimentos simplesmente
não ocorrem se não houver envolvimento...

E envolvimento gera atrito.
Minha palavra final: ATRITE-SE!

Não existe outra forma de descobrir o amor.
E sem ele a vida não tem significado.

 Roberto Crema.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Comece.




Amar é como construir um grande edifício.
Onde:
Os tijolos representam a sinceridade. Um relacionamento com esse valor possibilita a perfeita montagem da felicidade;
O cimento é a amizade. Com ela a união se fortalece;
E o engenheiro a confiança. É poder depositar em outra pessoa, sem remorso, a responsabilidade.

Pablo Magalhães.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

The truth

Amar não é apenas aquele olhar penetrante, aquele toque quente, aquele abraço apertado ou aquele beijo demorado. Amar é quando esse olhar faz a gente ficar sem graça, é quando esse toque nos provoca arrepios, quando o abraço nos deixa sem ar e quando o beijo nos tira a razão. Pra mim, amar é isso.
Beto Marinho.



segunda-feira, 4 de abril de 2011

Dedicatória à minha grande amiga Anaïs

       Em Quatro de Abril de mil novecentos e noventa e três nasce do ventre de uma grande mulher, uma garotinha tão pequena que mal cabia nos braços de sua mãe. Essa criança se depara com um mundo estranho, confuso e frio e a unica coisa coisa que se passa pela cabeça é a sede pelos ombros quentes e aconchegantes de sua mamãe.
A pequena garotinha aprende a dar seus primeiros passos, suas primeiras palavrinhas. Mas como nem tudo é como parece, o pequeno ser se depara com as primeiras desavenças da vida. O grande amor de sua mãe se transfere para a sola da sandália que com muito receio e cautela golpeia levemente o bumbum da criança que assustada pôe-se a chorar.
A moldagem do caráter da pessoinha meiga começa desde então e fará com que ela crie sua opinião própria e senso crítico.
Após vários anos a garota encontra algo estranho, novo e duvidoso: O que é isso? Porquê choro? O que é essa sensação estranha na barriga?. Ela esta de frente com o maior desafia da vida dela: Entender a essência dos sentimentos. Os olhares tímidos e o sorriso sem graça porém profundo se direcionam para uma outra pessoa que por algum motivo desconhecido apenas a ignora e continua e seguir seu rumo.
Essa garota inocente se depara com uma das piores dores que o ser humano pode sentir: A dor de uma amor incompreendido que de forma bárbara e impiedosa pune o pequeno coração da pequena mulher.
Desafios surgem exigindo da mulher uma grande capacidade de ligar e planejar as desavenças do dia-a-dia. Esta nova e experiente mulher de forma inteligente e muitas vezes intuitiva administra esses "desafios diários" com o objetivo de atingir a tão desejada PAZ.



terça-feira, 8 de março de 2011

"Just Feel the love into your soul"


Chega de Mentiras!
Chega de "Mascaras"!
Chega de Machismo!
Chega de Egoísmo!
Chega de Preconceito!
Chega de Egocentrismo!
Chega de Corrupção!
Chega de Sofrimento!

Chega pra lá! Chega pra lá! Chega pra lá!
Não suporto mais nada disso!!

Cadê a sensibilidade!?
Cadê honestidade!?
Cadê a solidariedade!?
Cadê o AMOR!!!!!!!!!!!!!!!?????????????
Abra o teu peito!
Deixe-o sair!

De forma tímida e silenciosa
Ele chega e naturalmente toma conta de VOCÊ.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

hahahaha...

Tão pouco tempo
Tanta liberdade
sinceridade
saudade.
tantas verdades.

hahahhaha

i think im loving!!!!!!!!! =)